Editorias
Busca por data
outubro 2014
D S T Q Q S S
« set    
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031  
Arquivos

Com a tag ‘greve’

Termina greve em bancos privados e no BB

assembleiaBancários de instituições privadas e do Banco do Brasil decidiram nesta segunda-feira, 6, em assembleia realizada em Salvador, suspender a greve da categoria, após sete dias de paralisação. A Caixa Econômica Federal e o Banco do Nordeste continuam em greve.

As agências do Banco do Brasil e bancos privados funcionam normalmente a partir desta terça, 7, segundo o presidente do Sindicato dos Bancários da Bahia, Augusto Vasconcelos.

“A categoria dos bancos privados decidiu por quase unanimidade que não ia ter mais caminho para avançar na proposta. Até porque outras bases sindicais aprovaram a proposta (da  Federação Nacional dos Bancos – Fenaban) e enfraqueceram a motivação nacional”.

Os bancários aceitaram a proposta da Fenaban de reajuste de 8,5% (2,02% acima da inflação) oferecida na última sexta. O acordo também contempla reajuste de 9% para o piso salarial e de 12,2% para o vale-refeição. Em 2013, após paralisação de 23 dias, o reajuste foi de 8%. •| Leia a matéria completa »

Sindicato dos Bancários de Vitória da Conquista e Região se reúne com Ministério Público do Trabalho

greve bancáriosO presidente do Sindicato dos Bancários, Paulo Barrocas, e o diretor de Assuntos Jurídicos, Rodrigo Maia, se reuniram na tarde desta quinta-feira, 02, com procuradores do Ministério Público do Trabalho em Vitória da Conquista.

O objetivo da reunião foi solicitar as providências necessárias em relação às denúncias recebidas pelo Sindicato e buscar medidas preventivas para que novos casos não aconteçam.

São denúncias ligadas a condutas antissindicais, cometidas por gestores de algumas agências bancárias, que estão exercendo pressão psicológica em seus funcionários, cobrando horários indevidos para chegar ao local de trabalho (às 7h30 ou após às 17h), além da realização de atendimento seletivo a alguns clientes e ligações para os telefones pessoais dos bancários grevistas, coagindo-os a exercerem suas atividades no banco. A pressão é tão grande que existem gestores ameaçando alguns funcionários, informando que eles podem ser transferidos provisoriamente para outras unidades ou terem suas comissões extintas.

•| Leia a matéria completa »

Greve dos bancários entra no 3º dia em todos os estados

img-20140930-wa0000Os bancários de bancos públicos e privados entraram no terceiro dia de greve nesta quinta-feira (2). A paralisação é por tempo indeterminado, segundo a Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT). Sindicatos de todos os estados confirmaram adesão à greve, além do Distrito Federal.

Nesta manhã, agências amanheceram novamente com adesivos colados nos vidros, indicando a paralisação. Segundo a Contraf-CUT, na quarta-feira (1), houve um aumento de 16,75% no número de agências fechadas em comparação com o primeiro dia de greve (de 6.572 para 7.673 unidades).

Carlos Cordeiro, presidente da Contraf-CUT, informou que a greve foi iniciada apenas em agências bancárias, mantendo o funcionamento de caixas eletrônicos, serviços de teleatendimento e centros administrativos. No entanto, segundo o sindicato, na quarta-feira, bancários de São Paulo e do Rio de Janeiro paralisaram alguns callcenters, telebancos, centros administrativos, serviço de apoio ao cliente e central de atendimento em São Paulo e no Rio de Janeiro.

Segundo Cordeiro, existe a possibilidade de estender a greve a outros setores se as negociações com a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) demorarem. “A nossa greve sempre começa pelas agências bancárias. A cada dia que passa que isso [acordo entre a categoria e os bancos] não ocorre, a greve tende a crescer e atingir setores mais estratégicos”, diz Cordeiro.

Veja aqui as opções para realizar operações bancárias, como transferências e pagamentos, durante a paralisação nas agências bancárias. •| Leia a matéria completa »

Segundo dia de greve fecha 94% das agências da região

02Na base do Sindicato dos Bancários de Vitória da Conquista e Região o número de agências fechadas subiu de 57, no primeiro dia de greve, para 72 no segundo, indo para 94% de adesão. Além de Conquista, cidades da região como Candido Sales, Livramento e Paramirim estão com 100% de paralisação nos bancos. Em toda a Bahia foram 820 unidades fechadas.

No primeiro dia da greve nacional da categoria, pelo menos 6.572 agências e centros administrativos de bancos públicos e privados em 26 estados e no Distrito Federal não realizaram atividades internas. São 427 unidades a mais que no primeiro dia da greve do ano passado (6.145), um crescimento de 6,95%.

A greve por tempo indeterminado foi declarada nas assembleias realizadas em todo o país na última segunda-feira, 29, após recusarem a proposta dos bancos de reajuste salarial de 7,35%, o que representa apenas 0,94% de aumento real ao se descontar a inflação do período, contra os 12,5% exigidos pela categoria. A greve é uma resposta à forma desrespeitosa que os bancos vêm tratando os seus trabalhadores.
ASCOM BANCÁRIOS

Bancários fecham 57 agências na base territorial do SEEB/VCR

bancáriosO primeiro dia de greve nas 45 cidades que compõem a base territorial do Sindicato dos Bancários de Vitória da Conquista e Região contou com uma intensa mobilização da categoria. Até o momento, foram confirmadas 57 agências fechadas nesta terça-feira, 30.

A força da greve se dá, principalmente, pela participação da categoria bancária, que aderiu à paralisação espontaneamente e em grande número. “O primeiro dia de greve foi muito positivo, principalmente porque houve uma boa adesão dos bancos privados. Espero que a adesão cresça ainda mais nos próximos dias”, afirma a bancária Luiza Viterbo.

Desde o início da Campanha Salarial, a diretoria do Sindicato promoveu reuniões nas agências de Conquista e da região, conscientizando a categoria sobre a importância da participação de cada um neste momento.

“Os bancários estão conscientes da importância de se participar do movimento para que nós possamos obter ganhos. Não somente ganhos financeiros, como também melhorias nas condições de trabalho. Outra avaliação que faço é que a população está apoiando o movimento, pois existe o entendimento que os bancos estão no segmento que mais lucram no Brasil e em retribuição não fornece o atendimento que deveria.”, entende o bancário José dos Santos Junior.

•| Leia a matéria completa »

Bancários de Vitória da Conquista e Região entram em greve a partir de terça

bancários de conquistaApós criar uma expectativa em toda a categoria convocando uma nova rodada de negociações com o Comando Nacional para o último sábado (27), a Fenaban apresentou apenas 0,35% acima da última proposta feita no dia 19.

A contraproposta apresentada pelos representantes dos banqueiros ficou em apenas 7,35% (0,94% de aumento real) para os salários e demais verbas salariais e de 7,5% para 8% (1,55% acima da inflação) para os pisos. Além disto, a proposição ignorou novamente as exigências dos bancários acerca de emprego, condições de trabalho, principalmente metas abusivas e assédio moral, segurança e igualdade de oportunidades.

Nesta segunda-feira, dia 29, o Sindicato dos Bancários de Vitória da Conquista e Região realiza uma Assembleia Geral para a organização da greve da categoria, que acontece partir de terça (30). “A contraproposta dos banqueiros só reforça a necessidade da deflagração de greve por melhorias nas condições de trabalho dos bancários”, afirma o diretor de Imprensa e Comunicação do Sindicato, Alex Leite.
ASCOM BANCÁRIOS

Bancários de Vitória da Conquista e Região aprovam greve para dia 30 de setembro

bancarios conquista 2014Bancários da base de Vitória da Conquista e Região aprovaram em assembleia na noite de ontem (25) o chamado para greve nacional por tempo indeterminado da categoria a partir do dia 30 de setembro. Mais de 100 bancários compareceram à reunião para avaliarem a contraproposta dos bancos e, por unanimidade, recusaram a o que foi oferecido e confirmaram a adesão à greve.

Com a entrega da pauta de reivindicações no dia 11 de agosto e após sete rodadas de negociações, a decisão dos trabalhadores foi tomada depois de esgotadas todas as tentativas de acordo entre o Comando Nacional dos Bancários, a Fenaban (Federação Nacional dos Bancos), e os representantes dos bancos públicos.

Nos encontros, foram cobradas dos bancos e governo soluções para as questões da precariedade da segurança, das condições de trabalho e saúde dentro das agências bancárias, além de reajuste salarial, mais contratações para melhor atender o cliente e redução de juros e tarifas.

Contraditoriamente, o setor que lucrou mais de R$ 38 bilhões de reais no primeiro semestre deste ano no Brasil se negou a atender as demandas sociais e econômicas dos trabalhadores. Diante de tamanho descaso, a greve se tornou inevitável, e a culpa é única e exclusiva dos bancos que exploram trabalhadores e clientes.
ASCOM BANCÁRIOS

Funcionários da Justiça Federal baiana entram em greve por tempo indeterminado

greve(22)Os funcionários da Justiça Federal, Tribunal Regional do Trabalho (TRT), Tribunal Regional Eleitoral (TRE) e Justiça Militar estão anunciando greve por todo o país, por tempo indeterminado. Na Bahia, a paralisação iniciou-se nesta segunda-feira (18).

A paralisação tem como objetivo pressionar o Supremo Tribunal Federal (STF) para negociar com o Governo a reposição das perdas salariais, que atualmente estaria em 40% e que, segundo o Sindicato dos Trabalhadores do Poder Judiciário Federal (Sindjufbe-BA), não há reajuste desde 2006. Além disso, as categorias pretendem pressionar para que o Governo envie a Lei Orçamentária Anual ao Congresso Nacional, pois o prazo se encerra no dia 31 de agosto

A greve começou em Brasília no dia 6 de agosto, com uma passeata na Praça dos Três Poderes. Na Bahia, estão previstos atos públicos na Justiça Eleitoral, Trabalhista e Federal. Os outros Estados estão em processo de anunciar a greve.

iBahia

Associações Docentes indicam aprovação do indicativo de greve nas Universidades Estaduais

forumdasadsO recuo do governo em relação ao projeto de lei para a desvinculação de vagas por classe foi a gota d’água para que o Movimento Docente (MD) apontasse para o endurecimento de suas ações.

Em compasso com a indignação da categoria com os graves problemas orçamentários das Universidades Estaduais, negação de direitos, bem como a precariedade das condições de trabalho e estudo, o Fórum das Associações Docentes (Fórum das ADs), em reunião realizada nesta quinta (31), indicou a aprovação de indicativo de greve no início do próximo semestre letivo e a deflagração de uma greve de advertência.

A negociação que ainda estava em curso, referente à desvinculação de vagas por classe, foi interrompida no dia 17 de junho, quando o governo anunciou sua recusa em enviar o projeto de lei aprovado anteriormente pela Secretaria de Educação, reitores e MD. Após o Movimento Docente ter protocolado um documento de denúncia, o líder no governo na ALBA informou que agendaria uma reunião entre a Secretaria de Educação, Secretaria de Administração, Casa Civil, Procuradoria Geral do Estado e docentes.

•| Leia a matéria completa »

Profissionais da Educação param o trânsito das Avenidas Frei Benjamim e Brumado

Os Profissionais da Educação da rede municipal de ensino de Vitória da Conquista realizaram uma manifestação na tarde desta quinta-feira, 9, após a assembleia realizada no Centro Integrado de Educação Navarro de Brito.

Em passeata, a categoria subiu a Avenida Frei Benjamim em direção à Brumado, onde durante cerca de trinta minutos as avenidas ficaram interditadas.

Com faixas e cartazes nas mãos, os manifestantes informaram a continuidade da greve, inclusive, reforçaram a necessidade de uma CPI na educação. Em coro, os sindicalistas gritavam: “CPI já!”.

“Essa é uma forma de chamar a atenção da comunidade para as questões ligadas ao dinheiro público, da utilização do dinheiro público que não é discutido com a sociedade. E os governos cada vez mais utilizam como bem entendem”, destacou o professor Márcio Freudenthal.

•| Leia a matéria completa »

Profissionais da Educação fazem manifestação em praça pública

Na tarde desta quinta-feira, 24, os Profissionais da Educação da rede municipal de ensino de Vitória da Conquista se reuniram na Praça Barão do Rio Branco para realizarem uma manifestação em favor da greve da categoria.

Com faixas e carro de som, os manifestantes informaram os motivos do movimento, bem como reivindicaram melhorias para a educação da cidade.

Buscando o apoio da comunidade – tendo em vista que a luta visa benefícios para professores e alunos – o SIMMP apresentou as irregularidades encontradas nas contas da educação, fruto de uma minuciosa pesquisa desenvolvida pela entidade, através de dados disponibilizados pela Administração no Tribunal de Contas do Município e Portal da Transparência.

São quase dois milhões de reais mensal, referentes às despesas da educação, que o SIMMP não identificou nem a prefeitura soube explicar como estão sendo gastos. “A PMVC utiliza o dinheiro de forma absolutamente indevida. Há uma diferença de dois milhões de reais, mês, entre as contas que o sindicato controlou da prefeitura e o que ela diz que paga aos Profissionais da Educação. Dois milhões multiplicados por doze (meses) são vinte e quatro milhões. Esse valor seria suficiente para mobiliar todas as escolas, dar a elas uma estrutura de qualidade e fazer uma carreira decente para os professores”, afirmou a presidente do SIMMP, Geanne Oliveira.

•| Leia a matéria completa »

Após acordo, policiais militares decidem encerrar a greve na Bahia

greveOs policiais militares da Bahia decidiram encerrar a greve deflagrada no início da noite da última terça (15). O coordenador-geral da Aspra, Marco Prisco, apresentou os itens da contra-proposta elaborada pelo Governo do estado, em assembleia realizada no Wet’n Wild, na tarde desta quinta-feira (17), e perguntou aos policiais se eles aprovavam. A maioria levantou as mãos, em sinal de que aprovava o fim da paralisação, aos gritos de “ô, ô, a PM voltou”.

A contra-proposta do Governo foi elaborada durante a madrugada e apresentada aos líderes dos grevistas pelo coronel da Polícia Militar Alfredo Castro na manhã desta quinta (17), no Quartel do Comando Geral da Polícia, nos Aflitos. O arcebispo-primaz do Brasil, dom Murilo Krieger, foi convidado para participar da reunião e abençoou o acordo.

A categoria, que reúne pelo menos 34 mil homens na ativa no estado, reivindicava melhoria salarial, mudanças na política remunerativa, plano de carreira, acesso único ao quadro de oficiais, um Código de Ética, aposentadoria com 25 anos de serviço para a Polícia Feminina, aumento do efetivo, bacharelado em Direito para os oficiais, além de elevação de toda a tropa para o nível superior entre 2014 e 2018. •| Leia a matéria completa »

Governo da Bahia diz que proposta dos PMs foge à capacidade do orçamento

pautaPor meio de nota, o Governo da Bahia afirmou na noite desta quarta-feira (16) que as reivindicações das associações de policiais militares grevistas “ultrapassam o limite orçamentário do Estado”.

Durante a tarde, associações de PMs entregaram um documento ao Comando da Polícia Militar, que intermediou a chegada dos itens até o governo estadual. Também durante a tarde, o governador concedeu entrevista coletiva, afirmando ainda não ter visto o documento entregue, e avaliou a greve como “eleitoreira”.

De acordo com o governo, os itens apresentados pela categoria, se atendidos, significariam um gasto de mais R$ 600 milhões por ano. “Essa nova pauta nos causa muita surpresa. Falamos que já estávamos no nosso limite e, hoje, recebemos a proposta com mais coisas inseridas. Esses pontos nos dariam um gasto anual de mais R$ 600 milhões. Consideramos isso um retrocesso”, afirmou o secretário da Segurança Pública, Maurício Barbosa, por meio de nota.

O governo ressalta que quer manter o diálogo aberto com a categoria. “Vamos ficar aguardando para que eles encaminhem uma proposta razoável. Esperamos isso rápido porque dependemos desta resposta para chegar a um consenso”, acrescentou o secretário. •| Leia a matéria completa »

Justiça atende pedido do Ministério Público e decreta ilegalidade da greve dos policiais na Bahia

GREVE PM BAHIAA greve da Polícia Militar da Bahia foi decretada como ilegal na manhã desta quarta-feira, dia 16, e todo o efetivo deve voltar imediatamente às atividades para a garantia da segurança pública.

A decisão é da Justiça baiana, que acolheu pedido formulado pelo Ministério Público do Estado da Bahia em uma ação cautelar ajuizada pelo procurador-geral de Justiça Márcio José Cordeiro Fahel contra o governador da Bahia, Jaques Wagner, e seis associações representativas dos policiais militares: a Associação de Policiais e Bombeiros e de Seus Familiares (Aspra), Associação de Praças da Polícia Militar da Bahia (APPM-BA), Associação dos Oficiais da Polícia Militar da Bahia (AOPM-BA Força Invicta), Associação dos Oficiais Auxiliares da Polícia Militar (AOAPM-BA), Associação dos Subtenentes, Sargentos e Oficiais da Polícia Militar da Bahia (ABSSO-BA) e a Associação dos Bombeiros Militares da Bahia – Associação Dois de Julho.

Ainda de acordo com a decisão judicial, concedida liminarmente pelo desembargador plantonista Roberto Maynard Frank, o governador deve realizar, de imediato, um plano de contingenciamento da segurança pública em todo o estado, de modo a preservar os interesses públicos de segurança social e jurídica.

•| Leia a matéria completa »

Policias Militares em Conquista aderem a greve da categoria

policiais militares de Vitória da Conquista, seguindo a decisão da categoria em Salvador, decidiram aderir a greve no final da manhã desta quarta-feira (16). As mobilizações serão decididas após a reunião entre os policiais. Com a greve, a CAESG passou a intensificar as rondas na cidade com o intuito de “transmitir” segurança nas ruas e a população do município.

PMs em greve preparam proposta para apresentar ao governo

Os policiais militares preparam uma proposta para apresentar ao comando da Polícia Militar (PM) nesta quarta-feira, 16, pela manhã.

De acordo com o presidente da Associação de Policiais e Bombeiros e de seus Familiares do Estado da Bahia (Aspra), Marco Prisco, eles foram convocados para uma reunião com o governo na noite desta terça, 15, por volta das 23 horas, após a categoria decretar greve.

No encontro, foi solicitado que os PMs elaborassem uma proposta e passaram a noite construindo o documento.

“Se atender a proposta, ótimo que a a greve termina hoje”, disse Prisco. As principais reivindicações dos PMs são reajuste salarial e equiparação salarial entre ativos e inativos e policiais civis e militares.
ATarde

Recado do Blog
Parceiros
customisable counter