Editorias
Busca por data
julho 2014
D S T Q Q S S
« jun    
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031  
Arquivos

Com a tag ‘Sindipoc’

Policiais civis fazem paralisação de 24h na Bahia; 30% do efetivo trabalha

Os policiais civis da Bahia pararam as atividades no inicio da manhã desta segunda-feira (6) em em todo o estado. De acordo com o presidente do Sindicatos dos Policiais Civis da Bahia (Sindipoc), Marcos Maurício, 30% do efetivo será mantido no dia da paralisação e realizam atividades administrativa.

Segundo o presidente do sindicato, a categoria pede reajuste de 5,4%, maior do que o oferecido pelo governo, que é de 2,5%, além de pagamento da promoção, que, segundo Marcos Maurício, está atrasado, e o direito a gratuidade nos transportes coletivos de Salvador.

Ainda na manhã desta segunda-feira (6), o grupo se reúne em atividade na Associação dos Funcionários Públicos da Bahia.
G1

Policiais civis paralisam atividades nesta segunda

Os policiais civis de Salvador e de cidades do interior baiano decidiram suspender as atividades por 72h a partir desta segunda-feira, segundo informações do Sindicato dos Policiais Civis e Servidores da Segurança Pública do Estado da Bahia (Sindpoc). A decisão de interromper o serviços foi tomada em assembleia da categoria no último dia 13.

A classe resolveu parar as atividade a partir de amanhã por conta de uma portaria que altera a escala de plantão deles em todo o Estado. A portaria, publicada no Diário Oficial do Estado no dia 23 de junho, mudou a escala de 24h de serviço por 72h de folga, para 12h de trabalho por 24h de folga.

•| Leia a matéria completa »

Policiais civis paralisam as atividades por mais 72 horas

Os policiais civis fazem mais uma paralisação de 72 horas a partir desta quarta-feira (20). O ato faz parte da campanha pelo reajuste salarial da categoria. Somente no sábado, as atividades serão retomadas normalmente.

Até lá, os policiais vão trabalhar apenas com 30% do efetivo, e somente os serviços essenciais serão realizados, como registro de assassinatos e guarda dos presos de carceragem.

Os policiais civis, que já cruzaram os braços por 72 horas no ínicio do mês, reivindicam um ajuste salarial de 100% a ser pago em três anos (2009, 2010 e 2011). O governo do estado oferece um aumento de 30%.

•| Leia a matéria completa »

Policiais civis retomam o trabalho nesta quinta

Termina às 8h desta quinta-feira, 14, a paralisação de 72 horas dos agentes da Polícia Civil do Estado da Bahia. A partir desta manhã as atividades nas delegacias voltam ao normal, de acordo com informações do vice-presidente do Sindicato dos Policiais Civis do Estado da Bahia (Sindoc), Marcos de Oliveira Maurício.

De acordo com o vice-presidente, nesta quarta-feira, às 17h, representantes do Sindpoc foram recebidos pelo Secretário de Justiça e Direitos Humanos (SJDH), Nelson Pelegrino, e pelo deputado Álvaro Gomes (PCdoB). “Queremos isonomia em relação o tratamento dado aos delegados de polícia“, explicou o vice-presidente.

Em outubro do ano passado, os delegados de polícia pararam as atividades e conseguiram negociar um aumento de 70%, de acordo com informações do vice-presidente do Sindpoc. “O secretário de administração Manoel Vitório demonstrou resistência ontem em relação às nossas reivindicações“, afirmou.

•| Leia a matéria completa »

Policiais civis paralisam as atividades por 72 horas

Os policiais civis começam, nesta segunda-feira (11), paralisação de 72 horas a partir das 8h. Nesses três dias consecutivos, será mantido 30% do efetivo dos seis mil servidores em atividade. Serão realizados apenas o serviço de Custódia de Presos e o levantamento cadavérico.

‘Não vamos mais fazer a passeata programada para esta manhã. Mas o indicativo de greve para o dia 20 de junho está mantido, caso a categoria não entre em acordo com o governo sobre o reajuste salarial’, enfatizou Carlos Lima, presidente do Sindicato dos Policiais Civis do Estado da Bahia (Sindpoc).

Os policiais exigem um aumento de 100% dos salários para o triênio (2009 – 2011), além de melhores condições de trabalho. A contra-proposta do governo é de 30% de reajuste salarial. ‘Não vamos aceitar esta proposta que é indigna da nossa função’, completou Lima.

•| Leia a matéria completa »

Recado do Blog
Parceiros
customisable counter