dezembro 2019
D S T Q Q S S
« nov    
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031  

:: ‘universidades’

A impunidade do Governo Rui Costa: A quem serve os Três Poderes na Bahia?

Ao final de novembro do ano passado, o governador Rui Costa autorizou a retirada do adicional de insalubridade de quase todo funcionalismo público da Bahia.

Desde fevereiro de 2016 os professores da UESB possuem decisões favoráveis da Justiça que comprovam a ilegalidade do corte e solicitam o imediato retorno do direito.

Apesar das inúmeras cobranças jurídicas do sindicato, o governo continua a desrespeitar o Judiciário.

Poderá o governo, sem qualquer penalidade, continuar a realizar seus mandos e desmandos, tal qual realiza com o Poder Legislativo? A Adusb denuncia a impunidade e exige uma resposta urgente para a garantia do direito aos trabalhadores.

No período imperial brasileiro (1822-1889), o sistema político vigente era a Monarquia Constitucional. Além do Executivo, Legislativo e Judiciário, existia também o Poder Moderador, exercido pelo imperador para controlar e desequilibrar os demais, quando esses não estivessem afinados aos interesses do monarca.

Tais semelhanças podem ser facilmente observadas nos dias de hoje na atuação do governador Rui Costa. Desde o início da sua gestão, o Executivo tem encaminhado projetos de lei à Assembleia Legislativa em regime de urgência. Por meio de sua ampla base de deputados, sem discussão apropriada e tempo devido, aprova absolutamente tudo o que é enviado. Não importa inclusive se as novas leis se configurarão como ataques ao povo que os elegeu como representantes. Assim se comportam os parlamentares governistas.

:: LEIA MAIS »

Estudantes denunciam falsos cotistas em universidades baianas

denunciaAlguns estudantes do curso de Medicina da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) chegam ao campus de Santo Antônio de Jesus em  carros importados.  São filhos de donos de clínicas, de proprietários de terras, mas  algo parece fazê-los ‘mais iguais’ do que os demais colegas: segundo denúncias, eles teriam entrado na instituição concorrendo às vagas do sistema de cotas.

Só este ano, 10 denúncias de fraudes desse tipo foram feitas em, pelo menos, três universidades públicas da Bahia. Além da UFRB, há casos relatados nas universidades estaduais do Sudoeste da Bahia (Uesb) e de Santa Cruz (Uesc). Nessa última, assim como na UFRB, foi a primeira vez que a fraude foi relatada à ouvidoria. A denúncia é recente – foi no início do mês. Já na Uesb, alunos ainda cobram a investigação de, pelo menos, 30 colegas que podem ser falsos cotistas.

Na UFRB, quatro processos já estão em andamento para investigar oito denúncias referentes a uso indevido de cotas socioeconômicas e raciais. Todos os casos são de estudantes que ingressaram em 2015.2, no curso de Medicina, após cursar três anos do Bacharelado Interdisciplinar em Saúde.

Segundo o coordenador de ações afirmativas do movimento estudantil da UFRB, Antonio Bastos, o número pode ser maior. “No próximo dia 13, iremos ao MPF (Ministério Público Federal) denunciar caso por caso. Já somam mais de uma dezena. Diversos desses estudantes não têm a menor possibilidade de estar enquadrados na questão socioeconômica porque a família tem posse, questão financeira equilibrada e até carro importado”, afirma Bastos.
:: LEIA MAIS »

Negociação avança e acordo é proposto entre Governo e professores das universidades

00004982_1_20150611111248_10.06.15_ReuniaoGoverno_pqO Governo da Bahia, por meio das secretarias da Educação, Administração e Relações Institucionais, assinou, neste sábado (18), minuta de acordo com o Fórum das Associações das Universidades Estaduais para encerrar a greve de professores. Os representantes do Fórum se comprometeram a defender a proposta nas assembleias.

No documento, que foi construído conjuntamente, o Governo assegura enviar para a Assembleia Legislativa o Projeto de Lei que Revoga a Lei 7176/97 no prazo de 60 dias, atendendo a uma reivindicação histórica da categoria. Com a revogação, será criada nova lei que garante mais autonomia às universidades.

O Governo também assume o compromisso de implementar, em até 60 dias, as promoções, progressões e mudanças de regime de trabalho relativas a todos os processos que já se encontram em tramitação nas secretarias da Educação e  Administração. :: LEIA MAIS »



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia