fevereiro 2016
D S T Q Q S S
« jan    
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
2829  

:: ‘Violência’

Campanha combate violência contra as mulheres no Carnaval

Lanç. Campanha Violência Sexual Contra Meninas (SPM) - Agecom - Evilânia Sena - 03.02 (5)Foi lançada nesta quarta-feira (3), às 16h, no gabinete da vice-prefeita de Salvador, Célia Sacramento, a campanha “Quanto custa a violência sexual contra meninas?”.

A iniciativa é promovida pela organização humanitária Plan Internacional Brasil, e conta com diversos parceiros, entre eles a Prefeitura, por meio da Superintendência Especial de Políticas para as Mulheres (SPM).

“Precisamos utilizar o espaço do Carnaval e os artistas renomados para dar um basta na violência contra as mulheres e acabar com a cultura do machismo”, disse Mônica Kalile, superintendente da SPM.

Entre os presentes no lançamento estavam profissionais da imprensa, militantes de movimentos feministas e representantes do Ministério Público, Defensoria Pública, Unicef, Fiema, Instituto a Mulherada e membros do Cedeca, além da madrinha da campanha, a cantora Márcia Freire. :: LEIA MAIS »

Segundo ONG, Vitória da Conquista está entre as 50 cidades mais violentas do mundo

chega-de-violenciaO Brasil é o país com o maior número de cidades entre as mais violentas do mundo em 2015, de acordo com um ranking internacional publicado nesta segunda-feira (25) por uma ONG mexicana. Das 50 cidades com maior taxa de homicídios por 100 mil habitantes em 2015, 21 são brasileiras.

A lista, divulgada anualmente pelo Conselho Cidadão para a Segurança Pública e a Justiça Penal, leva em conta o número de homicídios por 100 mil habitantes e inclui apenas cidades com 300 mil habitantes ou mais. Foram excluídos países que vivem “conflitos bélicos abertos”, como Síria e Iraque.

Apesar de o Brasil ser o país com mais representantes, o maior índice de violência foi detectado nas cidades da Venezuela. A taxa média brasileira foi de 45,5 homicídios por 100 mil habitantes e a venezuelana, de 74,65. Caracas, capital do país, lidera o ranking geral, com 119,87 homicídios dolosos para cada 100 mil habitantes.]

:: LEIA MAIS »

Jovem é espancado dentro do campus da Uneb em Caetité

violenciaUm jovem de 22 anos foi espancado durante uma festa ocorrida no último sábado (24) no campus da Universidade do Estado da Bahia (Uneb), em Caetité, centro-sul do estado.

A agressão ocorreu durante a  festa de encerramento do II Encontro de Integração Geográfica, organizado pelo Centro Acadêmico Estudantil do curso de Geografia. De acordo com o delegado Clécio Magalhães, titular da delegacia da cidade, o pai do jovem registrou uma queixa na segunda-feira (26) alegando que o filho foi vítima de lesão corporal.

“O pai disse que na saída da festa houve uma confusão e o filho agredido. Pedimos um laudo e  o médico atestou que o jovem teve uma fratura na face e escoriações pelo corpo”, afirmou o delegado. Um outro jovem também teria sido agredido durante a confusão mas teve apenas ferimentos leves. :: LEIA MAIS »

Herzem Gusmão responsabiliza governo estadual pela onda de violência na Bahia

Hérzem-púlpitoO deputado Herzem Gusmão (PMDB) responsabilizou neste sábado (17) o governo estadual pela onda de violência que atinge a Bahia. De acordo com a Secretaria Nacional de Segurança Pública, no ano passado a Bahia apresentou o maior número absoluto de homicídios no país.

“Foram 5.450 assassinatos, o que dá uma taxa de 36 homicídios para cada 100 mil habitantes. Pior, ainda: a Bahia respondeu por 11,63% (mais do que qualquer Estado) de todos os assassinatos registrados no ano passado no Brasil. Isto simplesmente é estatística de país que está em guerra”, afirmou o parlamentar.

De acordo com Herzem Gusmão, apesar dos dados assustadores, o governador Rui Costa e a cúpula da Secretaria da Segurança Pública insistem em remar contra a maré, colocando em dúvida a credibilidade de uma pesquisa realizada por um órgão oficial, do próprio governo federal.

:: LEIA MAIS »

Jovem é libertada de cárcere privado após três meses de agressão e abuso

carcereUma jovem de 22 anos foi libertada de um cárcere privado na noite de domingo (20) após passar três meses acorrentada em uma cela, sofrendo agressões e abuso sexual, no município de Vitória da Conquista, na região sudoeste da Bahia.

Segundo informações da 77ª Companhia Independente da Polícia Militar (CIPM), a denúncia foi feita por vizinhos da casa onde a jovem estava sendo mantida presa. Um casal, autor do crime, fugiu com três crianças que estavam com eles. Até por volta das 12h50 desta segunda-feira (21), ninguém havia sido preso.

A situação foi registrada no bairro Cruzeiro. Com base no depoimento da vítima à polícia, ela vivia nesses três meses sem alimentação adequada, além de sofrer agressões e abusos sexuais diariamente. :: LEIA MAIS »



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia